30 de maio de 2017

Chris Watkins Music and History

A disponibilização da informação e conhecimento através da internet tem quebrado diversas barreiras como nunca se viu na história da humanidade. A mobilidade desses recursos também é algo que chama atenção. Com melhor capacidade de escolha, a sociedade pode ter acesso a uma gama de recursos desde informação, formação e entretenimento. No campo do entretenimento temos as artes, e na ala das artes temos a musica.

Em um passado não muito distante o meio musical foi tão disputado que era quase um sonho gravar um álbum e ainda mais penoso divulgá-lo. Com o advento das novas tecnologias digitais e da web essa disputa se tornou mais justa, revelando novos e talentosos artistas que estão a um click da audiência.

Nesse cenário encontramos o músico, cantor e compositor Chris Watkins. Chris é oriundo de São José, Califórnia, Terra conhecida pelas suas belas praias e torneios de surf. Embora tenha nascido na terra do sol, o artista nos conta que passou a infância em Anchorage, uma cidade portuária no Alaska; e maioria do tempo se dedicava à leitura.   

Chris foi influenciado pelo musica desde muito cedo, por meio dos hinos que eram cantados na igreja que frequentava com a família. O artista desenvolveu seu estilo e técnica de canto por conta própria, jamais frequentou aulas. O artista nos revela que quando está desenvolvendo uma composição ele não faz pausas, o tempo todo está com o violão trabalhando naquilo; quando não está compondo ele jamais o toca.

Sobre as dificuldades no início da carreira musical o artista comenta que para ele a maior delas foi viver em uma região onde não havia uma indústria musical. Contudo, através de seu pai, aprendeu a tocar seu instrumento principal, o violão, e continuou desenvolvendo suas habilidades artísticas. O artista adiciona que seu primeiro instrumento fora emprestado da escola de musica e escolheu o violão por causa da portabilidade. Os artistas que o inspiram são: Bob Dylan, Lou Reed e Leonard Cohen.


Chris começou a compor aos dezesseis anos. Sua inspiração para escrever suas obras vem da vida e da arte em geral. Diferentemente de outros compositores, Chris tem um processo de criação peculiar, geralmente se dedicar a criar suas canções durante quatro a cinco meses no ano; e a outra parte do tempo ele passa se preparando para um novo ciclo de criações.

Sobre colaborações musicais, o artista acrescente que varia de projeto para projeto, porém cada novo álbum é uma colaboração em certo sentido. Entre suas composições favoritas estão: Dark Old Houses e Lasses and Ladies (2016). Seu mais recente trabalho é o álbum 'Lights All Askew', gravado em 2016, contendo as musicas: Munich, Looking Glass Life, Soldiers and Dogs, Ivory Towers, Lasses and Ladies, Dark Old Houses, Broken Gate, Cheerleader in Love, Souls Midnight e  Lights All Askew.

Para Chris, a dificuldade na carreira musical, tanto no passado, quanto atualmente está relacionada ao dinheiro. Contudo, o artista ressalta que tem se acostumado com isso. Questionado sobre o levou a trabalhar com musica, o artista enfatiza: “Porque este é o último refugio de um erudito”.

Perguntado sobre como vê a complexidade do mundo, o compositor salienta que: as pessoas em países como o Brasil, terão que fazer suas vozes serem ouvidas  diante das mudanças políticas impostas pela América. Chris revela que sua grande fé, em relação ao futuro do mundo, está nos jovens do mundo e de países como o Brasil. 


De acordo com o artista, o que o aborrece é o excesso de propagandas. E o que o faz se sentir bem, são artistas que buscam se ajudar mutuamente e se respeitam. Sobre sua relação com a musica, Chris define que ele sempre esteve presente em sua vida. 

E para concluir a entrevista, o artista deixa a seguinte recomendação: “Não escute as corporações, use sua cabeça”. Para conhecer mais sobre o trabalho musical de Chris Watkins, visite: Chris Watkins Oficial Web Site; SoundCloud; Twitter; Fan Page; e iTunes.