16 de novembro de 2016

Francesco Liccari Music and Life

A Itália sempre foi berço de uma cultura riquíssima na maioria das artes. Na musica trouxe grandes nomes como: Andrea Bocelli, Peppino di Capri, Luciano Pavarotti, Pino Daniele, entre outros, reforçando uma das expressões artísticas mais apreciadas pelo público.
A nova safra de artistas italianos continua compartilhando a beleza de seu idioma pelo mundo. É de lá que surge Francesco Liccari (25). Francesco é nascido na cidade de Trieste, cidade ao nordeste da Itália com influencias das culturas latina, slavica e germânica pela sua localização geográfica. O artista nos conta que teve uma infância feliz, costumava se divertir com as outras crianças brincando na rua de sua cidade, gostava de desenhar e escutar musica e logo aos nove anos de idade passou a estudar violão clássico.
Francesco sempre dedica de uma a quatro horas por dia estudando e treinando em seu instrumento musical. A família lhe dá total apoio em sua carreira artística. Seu primeiro instrumento foi um violão comprado para o irmão mais velho, porém, ele não se interessou pelo instrumento. Vendo o interesse de Francesco pela arte rapidamente o enviaram para uma escola de musica.
Já bem familiarizado com o instrumento, o artista passou a ter aulas com Andrea Massaria (guitarrista de jazz) entre os anos de 2000 e 2001. “Ele me ensinou tudo que sei sobre musica”, comenta. E seus pais continuaram patrocinando seus estudos. Francesco tem gosto variado para musica, entre os artistas que o inspira estão: Bob Dylan, David Bowie, Lou Reed, Rolling Stones, Neil Young, Cat Stevens, Donovan, Woody Guthrie, Leonard Cohen, entre outros.
Seu primeiro show foi no ano de 2009 em sua cidade, estava acontecendo um evento musical na cidade e Francesco entrou em contato com os organizadores para participar. Cachê não teve, porém, as sensações foram as mais variadas possíveis como descreve o artista: “Foi engraçado e assustador, emocionante e ruim, eu estava completamente fora de tempo por causa da ansiedade de tocar para o público, foram momentos engraçados”.
Um ano antes, em 2008, após nove anos estudando musica, decide criar suas próprias canções. Sua inspiração vem de cá e de lá, como ele mesmo coloca. Às vezes as letras o inspiram na criação das musicas, e às vezes ocorre o contrário, são essas que inspiram àquelas. “Algumas letras falam sobre como eu vejo o mundo e como eu sinto meu papel em tudo isso”, acrescenta. De acordo com o artista, os temas surgem de seu mundo interior e exterior, contos inspirados por pessoas conhecidas, reflexões sobre o amor, memórias, tempo e vida. “Eu poderia dizer que a inspiração vem de outra dimensão: quando fecho meus olhos, minha mente vai através do espaço e pensamentos vão desenhando as histórias para minhas letras ou tocando as notas para minhas melodias”, ressalta.
Uma de suas primeiras composições foi a musica Desert Visions. Perguntado sobre seu processo de criação, o artista nos revela que é complexo e ainda não conseguiu entendê-lo muito bem. Uma de suas criações favorita é a musica Sad-Eyed Lady escrita em 2010 e que faz parte de seu primeiro EP. Porém, ele enfatiza que gosta de todas as musicas que gravou, caso contrário descartaria antes de gravá-las.
A coletânea musical de Francesco é constituída por dois EPs. O primeiro deles, Memories of Forgotten Seasons, foi gravado em 2014 tendo como tema principal a solidão do ser humano. As musicas que o compõe são: Desert Visions, What Is Love (He’ll Never Know), Life, A Song For a Man, Rainy Night e Sad-Eyed Lady. O segundo EP, Raw Notes, estará disponível para o público ainda no final de 2016, sua temática é sobre arrependimentos, sensações inspiradas pela natureza, o bloqueio do escritor, e do artista em geral, e memórias apagadas pelo fluxo do tempo.  AS canções que o compõe são: Long Winter, The Wind, My Nightmares, She’s Not There at All e The Fallin’ Leaves’ Fall.
Perguntado sobre a principal dificuldade na carreira artística Francesco nos revela que o difícil é chegar ao público certo, “é um trabalho árduo de se fazer”, enfatiza. “Quando você tem uma grande gravadora ou uma gravadora, eles fazem todo o trabalho e você é o peão, caso contrário você faz todo o trabalho duro e você será o rei”, brinca. O artista ressalta que ama trabalhar com musica, pois, passou a sua vida inteira estudando, tocando e escrevendo musica. “Através da musica eu posso expressar minha criatividade e meus sentimentos, e eu desejo que esses mesmos sentimentos possam ser alcançados pelas pessoas e que elas se possam se unir pela mesma paixão por meu gênero musical”, argumenta.
Musica é uma constante na vida de Francesco, é seu modo de se relacionar com o mundo, é o que o ajuda a extravasar suas alegrias e tristezas. “Eu não sou muito bom com textos, quando falo ou escreve, no entanto, as letras das musicas organizam minhas palavras e se tornam algo que pode ser dito através das notas musicais”, revela.

Sobre a complexidade do mundo atual o artista faz as seguintes considerações: “o mundo moderno é caótico e complexo, é como Joey Ramone cantou, ‘este é um mundo diferente hoje em dia, e eu simplesmente não o entendo’, este mundo me deixa ansioso e a musica é o único meio que tenho de lidar com isso”, completa. Contudo, Francesco espera que as coisas mudem, e confia em mundo melhor no futuro a esperança de uma eterna primavera. O que o deixa feliz é saber que alguém se apaixonou por uma de suas musicas e acrescenta que dificilmente se irrita, aprendeu a controlar suas emoções com a prática de artes marciais. Para saber mais sobre o trabalho de Francesco Liccari acesse seus canais na web em: Website Oficial, Twitter, Fan Page, YouTube, SoundCloud e BandCamp.